Canetas Stabilo coloridas, post-its mil e você – Motivação ou desmotivação? | Fernando Mesquita

Canetas Stabilo coloridas, post-its mil e você – Motivação ou desmotivação? | Fernando Mesquita

março 31, 2019 Off Por Redator

"Que eu só fico bem ao seu lado" Fala, pessoal! Tudo bem? Aqui é Fernando Mesquita, trazendo pra você sempre o melhor de concursos, de reflexões na sua mudança de vida e de tudo mais que tem nesse país Hoje, estamos aqui reunidos novamente para tratar de assuntos relacionados à prova de concurso, a sua motivação, a sua estratégia de vida (a moto está passando aqui do lado) E, recentemente, recebi uma mensagem de um leitor que falava sobre o efeito que ele sentia quando ele via redes sociais, especialmente Instagram e Facebook de cursos preparatórios de outras pessoas que estavam na mesma situação que ele E ele argumentava que ver algumas dessas coisas eram um efeito de grandes motivações Foi um comentário que ele deixou no Youtube, depois me mandou pelo Instagram, Isso acontece de fato com algumas pessoas e eu quero explorar um pouquinho tanto essa questão de redes sociais propriamente dita como a questão da sua motivação interna e da forma como você encara esses eventos, esses estímulos que você recebe A primeira questão é a questão das redes sociais, já falei aqui em outras oportunidades sobre isso, falei o que eu achava, enfim, grupo de WhatsApp, se você deveria participar ou não Aqui no canal você vai ter esse vídeo Mas a gente conhece bastante o efeito de rede sociais e a gente sabe que redes sociais têm um efeito que pode ser, inclusive, depressivo nas pessoas porque a rede social tende a mostrar somente aquilo que é o melhor da vida de alguém

Então, você não tem a condição de ver a luta daquela pessoa, você não tem condições de ver por onde aquela pessoa passou até chegar onde ela está Então, muitas vezes, você pega uma pessoa que está no estágio extremamente avançado, que está acordando, sei lá, 4:30 da manhã para estudar se você considerar isso um estágio avançado, e essa pessoa já tem resumos, ela já conhece técnicas de estudos, ela está por dentro do esquema e você se sente que está muito atrás então quer dizer existe uma expressão que corre muito nas redes sociais que é comparar o seu bastidor com palco do outro Então você pega o pior da sua vida que é a sua preparação, que são as dificuldades que você está passando que é a sua falta de motivação eventual, esporádica ou, enfim, constante, e aí você compara com aquela pessoa que parece estar motivada 24 horas por dia e que parece estar vivendo a vibe 24 horas por dia E a gente sabe que isso não é verdade Você pode ter certeza que, se você tem problemas, as outras pessoas também têm problemas E eu conheço alguns desses criadores de conteúdo, muitos deles são bastante honestos, inclusive, falando especialmente do pessoal do Instagram, são muito honesto em relação à rotina deles

Eles dizem: Olha, hoje não foi um dia bom, hoje eu não consegui Mas outros não Outros, de fato, parecem ter essa motivação diurtuna para poder estudar, para poder se desenvolver que é uma coisa que até eu invejo, porque eu também não vivo esse esquema de motivações 24 horas por dia Então, o primeiro ponto que a gente vai retratar hoje é exatamente essa questão das redes sociais

As redes sociais são um problema para algumas pessoas Para mim, elas são uma ferramenta de trabalho Então, eu vivo por conta de Facebook, Instagram, Youtube e essas coisas todas que a gente onde eu publico meus conteúdos, onde eu gosto de te ver, mas ao mesmo tempo eu vivo nessa dualidade de querer que você use menos redes sociais, e isso é importante por seu desenvolvimento Se você não quiser parar de usar redes sociais, que eu acho que é um movimento radical, embora algumas pessoas precisem, estabeleça prazos O que recomendo pra você em qualquer caso: só olhe redes sociais uma ou duas horas depois de você acordar Não olhe redes sociais uma ou duas horas antes de você dormir E, se você puder, escolha 2 horas ao longo do dia em que você vai ver redes sociais, vai responder comentários, vai comentar

Para quem produz conteúdo é um negócio muito louco, porque a rede social foi desenvolvida para poder te viciar Então quando você publica alguma coisa e as pessoas comentam, e as pessoas curtem, e as pessoas compartilham, isso gera um sentimento em quem compartilha que é um sentimento muito louco, é uma coisa muito difícil de explicar

E você sabe disso, porque provavelmente passa por isso seja no Facebook, seja no instagram, seja SnapChat quando alguém te manda uma mensagem, onde quer que você esteja você tem essa sensação e essa é uma das razões porque a gente compartilha A gente quer que as pessoas olhem pra gente e elas gostem daquilo que a gente está fazendo, elas aplaudam as nossas conquistas, e isso é uma forma de a gente compartilhar essas coisas Muitas vezes não é por mal, não é simplesmente um sentimento de "HAHAHA, eu quero que as pessoas sintam inveja do que eu tô fazendo" Não, não é isso Você quer compartilhar, você quer participar, você quer que outras pessoas participem, mas existe, sim, um efeito negativo que muitas vezes é um efeito inconsciente, que é exatamente essa questão de a gente querer se sentir bem porque as outras pessoas estão curtindo, comentando, compartilhando aquilo que a gente está publicando

Então, isso é uma coisa muito louca! A gente ainda vai ter bastante tempo ainda ao longo dos próximos anos, das próximas décadas para entender, de fato, o efeito das redes sociais As pesquisas que a gente tem, que foram baseadas em Facebook, se eu não me engano, elas não são positivas porque elas mostram esse efeito de que a gente acaba se desmotivando porque a vida do outro está tudo sempre perfeita, está tudo sempre maravilhoso, tem até um vídeo que fala sobre isso, que mostra um cara que compartilha um monte de coisa, vive sozinho, mora sozinho, mas aí vai de carro até o topo da montanha e aí tira uma foto e fala: "Ah, a corrida de hoje foi ótima!" Enfim, é uma crítica Eu acho que essas críticas são válidas e necessárias Ao mesmo tempo, a gente precisa pensar em termos da nossa motivação O que na nossa vida, o que na nossa própria estrutura de desenvolvimento permite que a gente se motive ou que a gente desmotive vendo esse tipo de conteúdo? Eu fico sempre muito preocupado quando as pessoas falam assim: "Ah, porque eu vejo alguma coisa e isso me faz mal" Isso mostra que de uma certa forma essa pessoa não está essencialmente blindada contra as coisas que ela vai encontrar

E é claro que isso é muito difícil Quando eu falei sobre círculos de influência, aqui no canal tem um vídeo também em que eu falo sobre porque você não deveria ler notícias E falando sobre círculos de influência é muito comum você ver as pessoas que veem uma notícia simples, alguma coisa boba que aconteceu e, de repente, aquilo vira um desespero, aquilo vira um turbilhão na vida dela e ela não consegue mais lidar com aquilo de uma forma positiva Por quê? Porque dentro de um mar de acontecimentos, dentro de um espaço enorme de coisas que acontecem todos os dias, muito poucas delas tem relevância para a gente Algumas pessoas não conseguem entender isso e isso é muito importante

As pessoas falam assim: "Mas como é que você fica sabendo das notícias?"Eu não fico Eu, por exemplo, eu dificilmente olho jornais e revistas, a não ser, enfim, as coisas que me são necessárias, as coisas que chegam como mais absurdas assim, recentemente a gente tem o projeto de terceirização do governo que eu me senti impelido a fazer não um, mas dois vídeos sobre isso, mas enfim Então, eu evito ficar sabendo de notícias, por quê? Porque nos grandes screen das coisas, as notícias que acontecem no dia-a-dia, o jornal de ontem é absolutamente relevante

Mas ele pode ter um efeito terrível sobre a sua motivação, sobre a sua vontade de prosseguir, porque às vezes você vê notícias tão ruins e o jornal é isso, por quê? Porque notícia boa não vende, não adianta eu querer minha mãe uns anos atrás falava meu irmão é formado em jornalismo, eu tenho um irmão que é formado em jornalismo, E aí minha mãe falava assim: Meu filho, sabe o que você podia fazer? Você podia criar um jornal só de notícias boas, e hoje tem um portal na internet, eu esqueci o nome agora, mas se você se lembrar você coloca são só de notícias boazinhas

Ah, veja o que aconteceu com esse menininho aqui que estava doente e reconquistou tudo na vida Então, é legal, é um negócio que é super compartilhado, é um case de sucesso mas, até onde eu sei, é o único Notícia boa não vende, o que vende é notícia ruim Então, o jornal é "obrigado" a colocar notícias ruins para poder ter a estrutura de anunciantes dele, para as pessoas continuarem lendo, para ele continuar a chamar a atenção Por mais bizarro que isso seja, isso é tipo fumar, porque você sabe que o negócio te faz mal e você continua fazendo

O que eu sempre recomendo para as pessoas, até fazendo paralelo com o primeiro ponto, é o seguinte: Passe uma semana sem ler o jornal e veja o que acontece A maioria das pessoas houve as coisas e diz assim: "Não, mas isso não vai funcionar, então não vou nem tentar" A gente tem que ter muito cuidado com esse tipo de visão O que recomendo pra você é que você experimente as coisas que você vai ouvindo, você experimente as coisas que você vê, que você ouve, se você está aqui no canal significa que você ou chegou agora de paraquedas, seja muito bem-vindo, já curta e se inscreva aqui, ou que você confia naquilo que eu digo Então, eu sempre publico conteúdos pensando no que é melhor para você e uma das coisas que é melhor para você é exatamente não ficar vendo notícias

Então, faça essa experiência Passe uma semana sem ler jornal, sem entrar em sites de notícias, como muitas pessoas fazem rotineiramente e veja se isso fez alguma diferença na sua vida Volte nesse vídeo aqui daqui a uma semana ou daqui a duas semanas ou daqui a um mês, o período que você escolher e me diga como é que foi essa experiência A gente vai colocar aqui, inclusive para as pessoas que estiverem assistindo no futuro, essa experiência coletiva A internet tem esse grande poder de ajudar a gente ver o que outras pessoas estão vivendo

Voltando no segundo ponto, se você se motiva ou se você se desmotiva com isso, é importante que você se blinde contra essas questões externas e é importante você ressignificar aquilo que você vê Se você vê uma pessoa que publica a rotina dela, que evolui, que está crescendo, que está passando ontem teve uma notícia de uma menina que tinha sido

, a concurcats lá, no Instagram, que tinha sido aprovada, já era servidora do TJ e foi aprovada para o cargo de analista judiciário, da área judiciária, do TRT da 11ª região, eu acho E a internet foi à loucura, porque é muito legal você ver, assim, um desses perfis famosos com algumas dezenas de milhares de seguidores conseguir essa aprovação porque você vê que isso é real, que a pessoa, quando ela estuda para concurso, ela consegue aquilo que ela que ela quer É muito bacana essa experiência

Então, eu recomendo que você faça isso Eu recomendo que você reesignifique o que isso é pra você Se você vê uma pessoa, você fala: "Ah, não Isso é irreal e eu vou ficar triste porque eu não consigo lidar com isso" Eu digo que você pense assim: Poxa, que legal

Essa pessoa consegue O que ela faz que eu poderia fazer? O que ela vai que eu não poderia fazer? Porque muito desses perfis, às vezes, são de pessoas que de repente não trabalham Então, você tem um perfil lá de uma pessoa que não trabalha, aí essa pessoa fala assim: ah, eu estudei oito horas no dia Perfeito Para uma pessoa que não trabalha, isso é normal

Para uma pessoa que tem um emprego de 8 horas é muito mais difícil você estudar 8 horas no dia Então, se você estudar 6, se você estuda 4, você pensa assim: Não Beleza Se a pessoa não trabalha, então ela tem uma disponibilidade no dia Eu trabalho 8 horas, então, eu passo, sei lá, 9 horas por dia por conta do meu trabalho

Quanto eu poderia estudar? Qual o melhor que eu posso fazer? E a ideia é mais ou menos essa É você pensar no melhor que você pode fazer E você usar isso não como fator de desmotivação, mas como fator de inspiração Eu acho isso importantíssimo, porque você vê o que as pessoas estão fazendo, você vê o que está acontecendo, você vê como que essa rotina se constroi, às vezes você vê indicação de métodos de estudos, de aplicativos, o que quer que seja Novamente: os estudos feitos com o Facebook mostraram que redes sociais têm um possível efeito negativo na vida

Então, se você sentir que mesmo após essa tentativa de você reesignificar, de você entrar em contato com as pessoas e com esses canais, você sentir que isso não está te fazendo bem, não há porque continuar Então faça uma pausa ou, enfim, se você achar essencial, radicalize logo e cancele os seus perfis todos nessas redes Mas eu espero que você possa usar isso a seu favor, porque não só nas redes sociais, mas quando você aprende a usar as coisas a seu favor, sejam elas cursos, redes sociais, notícias, jornais, materiais, qualquer dessas coisas que a gente conversa, você transforma tudo ao seu redor no ativo e você pode trazer tudo pra sua vida em forma de benefício em vez de você ficar sofrendo por causa das coisas que estão aí É uma questão de esforço, não é fácil Algumas pessoas tem isso de forma muito natural, mas se isso não vem de forma natural para você isso vai exigir um esforço ativo pra você poder construir essa mudança na sua vida

Combinado? Eu sou Fernando Mesquita Se você gostou aqui, inscreva-se no canal, curta o vídeo e a gente se vê na nossa próxima oportunidade Até lá!