Como funciona o capital de giro? O Sebrae ensina!

Como funciona o capital de giro? O Sebrae ensina!

agosto 1, 2019 Off Por Redator

Capital de giro. Vamos entender como isso funciona?

Você na sua empresa comprou o produto do seu fornecedor. O fornecedor te entregou o produto e você passou o dinheiro para ele. Você está com o produto na sua empresa, esse produto foi para o seu estoque, foi para prateleira, foi vendido para o cliente, o seu cliente levou o produto, pagou, às vezes com prazo, até que entrou esse dinheiro no seu caixa.

Desde o momento em que o dinheiro saiu do seu caixa até ele retornar, nesse intervalo, quem é que pagou as contas de energia, salário de funcionários, aluguel etc? É importante que você tenha um montante de dinheiro que te dê essa cobertura durante esse período. Esse montante financeiro é o chamado capital de giro. Para que você consiga calcular adequadamente o montante necessário de capital de giro para o seu negócio, é importante que você tenha seus controles financeiros em dia.

Calcule o prazo das contas a pagar e o custo fixo mensal

Primeiro, calcule o prazo médio que você tem das contas a pagar, de todas as suas compras que você faz com fornecedores. Exemplo: eu faço com meus fornecedores parte dos pagamentos à vista, 50% dos meus pagamentos são à vista, e 50% dos meus pagamentos são com 30 dias. Então, na média, se metade é à vista metade com 30 dias, na média o seu prazo de pagamento para seus fornecedores é de 15 dias. Faça o cálculo dessa média do seu negócio. Além disso, calcule também o prazo médio do recebimento que você tem de seus clientes.

Quanto tempo, em média, seus clientes demoram pra pagar para você? Imagine: meus clientes pagam para mim com 30 e 60 dias, metade com 30 e metade com 60 dias Na média (30 + 60 = 90), com 45 dias é o que eu recebo dos meus clientes. Nesse momento, você já sabe que demora 45 dias para receber dos seus clientes, mas você paga com uma média de 15 dias, ou seja, tem 30 dias de prazo que alguém tem que bancar. O primeiro passo é você calcular adequadamente qual é o custo fixo mensal do seu negócio. No custo fixo mensal lembre-se do aluguel, das contas de energia, telefone, salários etc.

Estime o valor do custo variável mensal da sua empresa

Segundo passo: faça uma estimativa do valor do custo variável mensal do seu negócio. Nos custos variáveis nós vamos calcular todas as despesas relacionadas com a venda ou a produção do seu produto ou serviço. Exemplos: a matéria-prima, os custos financeiros com impostos diretamente ligados às vendas e assim por diante. Com esses valores mensais dos seus custos variáveis e de seus custos fixos, faça uma média diária. Assim, você vai ter um valor aproximado de qual é o seu custo por dia.

Você já sabe que tem, então, 30 dias de prazo descoberto e você já sabe qual é o valor diário do seu custo. Multiplique esses 30 dias pelo valor diário do seu custo e você vai ter a primeira parte da sua necessidade de capital de giro, já terá o valor desse capital de giro necessário do período. Além disso, você precisa ter também uma noção do valor de estoque que você precisa Se você está iniciando um negócio agora, qual é o estoque mínimo para você iniciar o seu negócio? Qual é o valor do estoque que você precisa ter? Se você já tem um negócio funcionando, tenha pelo menos o estoque mínimo até a próxima reposição do seu fornecedor. Some esses valores de quanto você precisa com os valores anteriores e você terá o valor total da sua necessidade de capital de giro.

Quer saber mais sobre a gestão financeira da sua empresa? O Sebrae tem treinamentos específicos sobre isso!